Nabos, Cenouras e Seixos 2
o futuro em Sopa de Pedra

Teresa de Carvalho

- POUPAR Energia Todos os neg√≥cios que poupem energia, que representem redu√ß√£o de custos energ√©ticos ter√£o sucesso. Independentemente da queda recente do pre√ßo de petr√≥leo, o ocidente n√£o vai esquecer como foi encurralado nesta crise. A procura de alternativas disparou a s√©rio e para sempre (ao ponto de ser desej√°vel come√ßar j√° a pensar em alternativas para os pa√≠ses produtores de petr√≥leo para que as suas economias n√£o entrem em colapso - o que traria consequ√™ncias perigosas e imprevis√≠veis para a estabilidade global). Dev√≠amos investir em ve√≠culos leves, lentos e pequenos para a cidade tanto individuais (tipo Segway) como colectivos - ser√° que a universidade de Aveiro que tem desenvolvido carros el√©ctricos e a experi√™ncia portuguesa na ind√ļstria autom√≥vel n√£o conseguem produzir um carro destes de marca portuguesa?. Na constru√ß√£o e materiais tamb√©m - todos os que assegurem poupan√ßas de energia, isolamentos (oportunidade para a corti√ßa), maior dura√ß√£o com menor manuten√ß√£o (j√° h√° aglomerados portugueses muito interessantes que misturam mat√©rias) ser√£o vencedores. A reciclagem √© outra √°rea de oportunidade neste campo (tanto √† escala industrial, como √† escala da produ√ß√£o individual - h√° espa√ßo, que j√° se nota e v√™ - para os novos artes√£os/designers.)

- TIC + Electr√≥nica + Design + Dom√≥tica H√° muitas oportunidades de funcionalidades e de op√ß√Ķes de design a acrescentar nas nossas m√°quinas. Os produtores de PC fariam bem em olhar para a Apple e fazer computadores, teclados, acess√≥rios com outra apar√™ncia, pois ficariam surpreendidos com a quantidade de pessoas que quer um Mac s√≥ porque ‚Äú√© branco e bonito‚ÄĚ. Encontrar uma televis√£o branca, um teclado azul ou um PC verde lima √© de dif√≠cil a imposs√≠vel. Quanto a funcionalidades, o telem√≥vel vai continuar a "crescer" at√© se encontrar com o PC ou o PC a diminuir at√© se encontrar com o telem√≥vel; por ex. faz sentido desenvolver mais as qualidades de c√Ęmara (de fotografia e filme) e incorporar mais funcionalidades (de grava√ß√£o de voz ‚Äď para n√£o perder ideias, de gps, de Mp4, de drivers e possibilidades de liga√ß√£o a colunas e m√°quinas de projec√ß√£o). Imagino um telem√≥vel /PC que seja uma esp√©cie de canivete su√≠√ßo das TIC que concentre tudo: voz, imagem, m√ļsica, web, etc. e em que a grande inova√ß√£o seja a de projec√ß√£o de imagem (ultrapassando os inconvenientes f√≠sicos do ecr√£; i.e. permitindo a uma pequen√≠ssima m√°quina ter uma imagem de grandes dimens√Ķes: a dimens√£o √† escolha consoante o contexto de utiliza√ß√£o). Tamb√©m h√° oportunidades de crescimento para a dom√≥tica, para solu√ß√Ķes que assegurem poupan√ßas de energia e que sejam facilitadoras da vida das pessoas (integrando controlo de tarefas dom√©sticas e da qualidade do ambiente, sem sair do sof√°).

- Melhorar o CORPO HUMANO - Biónica + Ciências da Vida + Gastronomia saudável + Fitness
Atendendo √†s tend√™ncias, dev√≠amos unir saberes de forma a dar resposta √†s necessidades. Por exemplo, j√° n√£o faz muito sentido existirem √≥culos. Era importante conseguirmos ligar saberes e √°reas para (por ex. produ√ß√£o de lentes /√≥ptica / biom√©dicas) para produ√ß√£o de lentes cada vez mais invis√≠veis, quase integradas e depois para a produ√ß√£o de pel√≠culas instaladas no pr√≥prio olho. O mesmo para aparelhos auditivos, ou cadeiras de rodas (um engenheiro isrealita acabou de inventar uma estrutura de sustenta√ß√£o m√≥vel que p√Ķe parapl√©gicos a andar). De igual modo, todas as √°reas ligadas √† gastronomia saud√°vel (desde a restaura√ß√£o, √† agricultura, ao nutricionismo, √† hotelaria) continuar√£o a ver a procura aumentar, a par dos centros de fitness, dos PT, das massagens e spas, da cirurgia pl√°stica, etc. Portugal tem um activo que deve explorar e exportar: as magn√≠ficas sopas de legumes (creio que somos o 3¬ļ maior consumidor de sopa do mundo, a seguir √† China e ao Vietname) e a gastronomia mediterr√Ęnica (azeite, cebola, tomate, vinho), mas √ļnica por usar mais peixe do que carne (devia existir uma promo√ß√£o cultural activa destas tradi√ß√Ķes especificamente portuguesas). A promo√ß√£o de uma gastronomia portuguesa saud√°vel e sofisticada, atrav√©s de √≥ptimos restaurantes nas grandes cidades do mundo, poderia fazer milagres pela promo√ß√£o da notoriedade e da imagem do pa√≠s.

- HAVE IT YOUR WAY - Bens de Consumo + Personaliza√ß√£o de produtos e servi√ßos Os casos de sucesso dos bens de consumo passaram pela democratiza√ß√£o do design a baixo custo (Ikea, Zara s√£o os exs. mais conseguidos) mas j√° se assiste √† prolifera√ß√£o de formas de personaliza√ß√£o (do tipo "desenhe a sua t-shirt, n√≥s produzimo-la"). Ou seja, se a chave do sucesso h√° 40 anos foi massificar o que era s√≥ para alguns (o design, a beleza a boa solu√ß√£o), a pr√≥xima chave ser√° ‚Äúmassificar a personaliza√ß√£o‚ÄĚ, atrav√©s de novas tecnologias. A Internet j√° n√£o √© s√≥ uma ferramenta de gest√£o das marcas, √© um ponto de venda, de conhecimento da oferta e de venda e um canal de contacto e de auto-express√£o do consumidor.

- Design e Pensamento Global. Duas das compet√™ncias mais valorizadas no futuro pr√≥ximo (20 - 30 anos) ser√£o compet√™ncias transversais de resolu√ß√£o de problemas, como o Design (as pessoas compreender√£o que Design quer dizer solu√ß√£o de problemas e n√£o fazer desenhos bonitos) e o Pensamento Global. Os designers s√£o os novos plat√≥nicos (Kalos significava simultaneamente ‚Äúbom‚ÄĚ e ‚Äúbonito‚ÄĚ). Por outro lado, os talentos para ler o mundo e estabelecer pontes e consensos, os possuidores de "antenas", de capacidade de leitura das necessidades do momento, continuar√£o a ser valorizados na gest√£o empresarial e na pol√≠tica.


Lisboa, Julho de 2008